Páginas

segunda-feira, 1 de março de 2010

Uma chegada e duas despedidas

MarADentro - edição 01 - fev - 2010
por Liz

(Despedida Dona Eneida)
“...agradeço também a Deus porque ele me dá uma vida razoavelmente feliz aqui na terra, mas mais do que isso, ele me dá a esperança de que um dia ele vai voltar e haverá justiça”
Essas foram as palavras que fecharam o discurso de agradecimento do Artur, graduado em matemática pela Universidade Federal de Viçosa, em seu culto de formatura.
No aguardo desse dia mencionado por ele tivemos duas despedidas do tipo que explica porque a nossa vida é “razoavelmente” feliz e não plenamente feliz aqui na terra. Foram as despedidas de Dona Eneida, e Dona Clarinda. Duas histórias, duas mulheres admiráveis, dois legados importantes para toda a nossa comunidade, dois cultos fúnebres cheios de gratidão e anseio por este glorioso dia. Dia de justiça; dia de ressurreição. O pregador foi enfático, “por misericórdia, não se esqueçam desse dia!”.
A despedida de Dona Eneida provocou em mim um senso de grandeza. Ela fora uma grande mulher. Uma mulher que me envergonha por sua graça. Já a despedida de Dona Clarinda trouxe a memória o estado de fragilidade em que nos encontramos, e um temor pela vida. O momento do enterro de ambas fora musical. Ao ver fechar o túmulo de Dona Clarinda, ouvia-se a voz de Iêda, sua única filha, cantando em solo “..quando o meu coração se abater, leva-me à rocha, que é mais alta que eu, que é mais alta que eu” e aos poucos outras vozes também se juntaram em coro. Dona Eneida foi descida ao solo ao som de diversos hinos cristãos, cantados à capela por um pequeno grupo ali presente, dentre eles um cântico um tanto intrigante “por tudo o que tens feito (...) te agradeço meu Senhor”. Essas músicas de alguma forma testemunharam a todos os presentes da esperança que é lembrar aquele dia. “Dia em que o Senhor vai voltar e haverá justiça”.
A nossa chegada à Viçosa tem sido um momento assim, razoavelmente feliz. Muitas alegrias nos cercam e estamos muito gratos. Já tivemos a primeira reunião dos adolescentes aqui em casa que foi uma baita inauguração, já recebemos nossa primeira visita paulistana (dispensa comentários), já tivemos o primeiro encontro de amigos das antigas... e a graça de Deus se mostra presente e novamente presente. Porém este tempo em que nos encontramos tem nos ensinado que haverá um dia plenamente feliz, e por este aguardamos, e esta espera certeira é a nossa esperança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário