Páginas

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Grata amizade

MarADentro - edição 05 - jun - 2010
por Liz

Quero falar sobre amizade. Penso que há um valor inestimável nela. As amizades marcam a gente, entram nos cantos da nossa vida e nos ajudam a ver o que é que está ali bem no fundo. Sei que Deus fez a amizade. Sei que ela existe desde a criação, quando, caminhando pelo jardim o criador conversava com Adão e Eva e os entendia, amava. C.S. Lewis, em seu livro Os Quatro Amores, me marcou muito quando afirmou que a amizade é a forma mais gratuita de se amar. Não há na amizade “interesse” de nenhum tipo e nem aliança formal (como em um casamento, ou nas relações familiares onde há um vínculo pré-existente). É um pacto espontâneo sem regras e sem um fim determinado. Ela existe pelo simples prazer de existir, e o amigo ama, pela grata alegria de amar.

No pouco tempo que eu tenho consciência desse valor, já pude provar da satisfação de ser amiga e de ter amigos com muita intensidade. Também já pude chorar a amargura que é perder um amigo para a morte, e a nostalgia de perder um amigo para as circunstancias da vida. Percebi que quanto mais me alegro com uma amizade, mais sofro com ela. Paradoxal. Mas novamente citando o sábio Lewis “no mundo em que vivemos, amar é sofrer”, o sofrimento é, de alguma forma, uma constatação da existência do amor. Se sofremos pelo outro, é porque não somos indiferentes a ele.

No fim das contas a alegria sempre é compensatória, tanto é que nunca deixei de construir uma amizade com medo da dor ela pudesse me causar. E nunca sofri em uma amizade sem me sentir privilegiada de estar naquele sofrimento. É privilégio de poucos sentir seu sofrimento compartilhado. É sinal de que a amizade é profunda e real, como de fato, deveria ser.

Um comentário:

  1. Acabo de ler para a minha mãe e estamos saudosas de você linda!!
    Ouço agora que ela ficava leve em saber que eu estava sua companhia. Saiba que você ainda me acompanha no meu coração!!!
    Eu te fileu pra caramba! =)
    Dois abraços gostosos,
    Fá e Dorinha!

    ResponderExcluir